sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Elisa Portwood:


Elisa Ferreira apresentou oficialmente a sua candidatura.
Na plateia muitos ilustres da cidade e arredores. A nata do Partido Socialista disse presente. Incluindo o antigo Secretário de Estado de Elisa Ferreira, de seu nome José Sócrates (segundo as más-línguas da época, não morriam de amores um pelo outro).

“O Porto está de luto pesado”, afirmou o actor António Reis, apoiante de Elisa. Já Rui Veloso, segundo o JN (capa, pág.2 e 3), “interrompe a canção, abraça Elisa, ela sorri, sorri” (no caso de Elisa o Miguel Gaspar do JN não foi tão cáustico como noutras situações no tocante a filmes de forte carga pessoal…). Jorge Nuno Pinto da Costa não faltou. E não falou. Claro que Carlos Magno surgiu, vindo do nada, como sempre, para apoiar Elisa: “A Elisa tem raça, tem garra, é genuína”. A Elisa. Parecia a antecipação da noite dos Óscares. Portwood. Talvez 21, da Balvenie. Não, não mudo de assunto.

Dei por mim a ouvir PJ Harvey e a trautear “Elise”. Elisa.

E o Óscar vai para….

2 comentários:

Aurélio Estorninho disse...

cá para mim a elisa será carne para canhão.
este fim de semana vou para o minho beber uns alvarinhos... não consegui bilhetes para madrid.
abraço

Flash Gordo disse...

O PS do Porto endivida, esburaca, abandona tudo a céu aberto, dá, oferece, ajuda, espera que o PSD limpe e pague as contas e depois volta. Foi assim com o pântano de Guterres, será assim com o de Sócrates e tentarão que assim seja com Rui Rio. Não tenho é a certeza que o teatro vença a realidade.